Como ser um varejista de sucesso no Brasil?

A disputa está cada vez mais acirrada no comércio eletrônico com o aumento da concorrência, principalmente se considerarmos no cenário os marketplaces. Desafiador para qualquer varejista, mas não precisa ser. É possível estar entre os maiores.

E, atualmente, o caminho está inclusive encurtado pela possibilidade de integrar os produtos do seu e-commerce nesses canais de venda. Segundo o ranking divulgado pela Sociedade Brasileira de Varejo e Consumo (SBVC), das “50 Maiores Empresas de E-commerce do Brasil”, as dez primeiras colocações são dominadas por estes canais.

Na liderança deste ranking está a B2W (Americanas.com, Submarino, Shoptime), que teve um faturamento de R$ 36,2 bilhões, o que representa mais de 75% das vendas de todo e-commerce brasileiro. A lista ainda conta com marcas como Via Varejo, Magazine Luiza, Walmart e Netshoes.

Com o mercado recém aberto para o comércio de eletrônicos e decorações no Brasil, a norte-americana Amazon ficou em 13º lugar. A marca tem faturamento estimado de US$ 1,9 bilhão nas operações mundiais, de acordo com balanço divulgado em relação a 2017. E, segundo a SBVC, em 2016 a marca faturou no território nacional mais de R$ 200 milhões.

Por que vender neste canais?

Embora os números sejam suficientes para justificar o interesse em integrar seu e-commerce com essas grandes vitrines, ainda pode haver algum tipo de interrogação sobre os lucros reais. Afinal, existem sim percentuais cobrados sobre os itens comercializados, podendo chegar a 30%.

De toda forma, o seller tem total autonomia para definir quais serão os produtos vão ser comercializados. Essa decisão pode ser tomada com base em informações simples e estratégicas do negócio.

Como fazer isso?

Para ajudar, uma reflexão básica para identificar as possibilidades e oportunidades iniciais, pode ser:

1. Margem de lucro

Verificar o retorno que o item tem dentro do seu cenário de vendas.

2. Escolher os itens mais vendidos

Tomar como base sua lista de produtos com maior fluxo de saída.

3. Contar com expertise

Isso mesmo! Você não precisa definir estas estratégias sozinho. No Vtrina atuamos na integração, mas nossa solução engloba auxiliar na definição de cluster para venda e gestão dos itens no dashboard do marketplace, ou seja, sua preocupação será apenas em vender mais e conquistar novos compradores.

Tem dúvidas ainda?

É uma escolha legítima para ampliar suas vendas e público. Vamos combinar que este é um diferencial imenso neste mercado digital, não acha? Só pra ter ideia, após a última Black Friday, a B2W emitiu uma nota agradecendo aos sellers e mencionando que as vendas no período foram equivalentes a 45 dias de vendas normais, ou seja, há muito que ser explorado.

Mas para não deixar nenhuma dúvida, um case que mostra que a aposta também engloba grandes marcas. O caminho para vendas no Marketplace é um processo definitivo em questão de posicionamento, que inclusive grandes marcas como a Nike estão aderindo.

Partiu integração?

Facebook
Twitter
LinkedIn

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Artigos recomendados

plugins premium WordPress